META DE ADESÃO DE EMPRESAS DO VAREJO PARA NF-e SUPERA ESPECTIVA DA SEFAZ
28 de junho de 2012 23:35
Mais de 10 mil empresas amazonenses do ramo do varejo já substituíram os formulários em papel, modelos 1 e 1A pela Nota Fiscal Eletrônica seguindo a determinação do Conselho Nacional de Política fazendária, Confaz, superando a meta da Secretaria de Estado da Fazenda.
A SEFAZ/AM realizou, no primeiro semestre deste ano, um trabalho de divulgação junto às instituições parceiras que representam o comércio a fim de esclarecer que a partir do dia primeiro de julho não será mais aceita a nota fiscal convencional para acobertar operações de venda entre empresas. A comunicação direcionada obteve resultado acima do esperado. A expectativa era de que 10 mil empresas comerciais aderissem a NF-e. Até esta quarta-feira, 10.110 contribuintes varejistas começaram a acobertar suas operações por meio do documento eletrônico.
As empresas que continuarem a operar com as notas convencionais e forem pegas pela fiscalização terão a carga retida por estarem com documento inidôneo e deverão pagar multa que equivale a 100% do imposto devido. O contribuinte também perde o prazo de 45 dias para recolher o imposto, tendo que efetuar o pagamento do ICMS à vista das mercadorias que chegarem.
A exigência da NF-e iniciou em 2008 para os fabricantes, atacadistas e distribuidores de cigarros assim como produtores e distribuidores de combustíveis. A exigência da emissão do documento eletrônico pela empresas do varejo para acobertar vendas para outra pessoa jurídica fecha o quinto e último grupo dos obrigados. Atualmente, operações com essa característica são obrigatórias para o setor industrial e atacadista assim como nas operações interestaduais e vendas para órgãos publicas.
Até a última quarta-feira, o estado do Amazonas recebeu 8.053.187 NF-e, com o valor correspondente de R$ 91.920.908.661,61.
A migração do sistema convencional de controle para o eletrônico beneficiou o meio ambiente, já que não é mais necessário o corte de árvores para a produção dos formulários em papel; maior controle das operações pelo fisco estadual e economia para o contribuinte que não precisa mais ter setores próprios para o armazenamento das notas ficais.

NOTA FISCAL DO CONSUMIDOR ELETRÔNICA EM ESTUDO

A exigência da NF-e ainda não é devida nas transações de venda para o consumidor final por enquanto. Uma equipe de técnicos da SEFAZ/AM participa esta semana de uma reunião em Porto Alegre com representantes de secretarias de fazenda de todo o país, além de representantes de instituições empresariais como a Câmara de Dirigentes Lojistas de Manaus e a Associação Comercial do Amazonas para definir quando e os moldes da Nota Fiscal do Consumidor Eletrônica, NFC-e, que será implantada no Brasil.

viaSecretaria do Estado da Fazenda.

Comentários estão fechados

Comente diretamente no seu Facebook

Outras Notícias

  • Tributária



    Parcelamento de débitos do IRPJ e da CSLL incidentes sobre os lucros no exterior

    Regulamentado o parcelamento de débitos do IRPJ e da CSLL incidentes sobre os lucros no exterior A Lei nº 12.865, publicada em 10 de outubro de 2013, instituiu parcelamento de débitos do IRPJ e da CSLL incidentes sobre os lucros auferidos por controlada ou coligada no exterior. As regras, os prazos e as condições estão regulamentados pela Portaria Conjunta da Secretaria da Receita Federal e da Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional nº 9, publicada no Diário Oficial de hoje. O que [...]

    Leia mais →
  • Tributária



    Declaração de imóvel desapropriado no IR é controversa

    Por Danylo Martins SÃO PAULO  –  A indenização recebida por um imóvel que foi desapropriado deve ou não ser informada na declaração do Imposto de Renda? O assunto é controverso, segundo os especialistas. A Receita Federal afirma que o valor da operação está sujeito à apuração de ganho de capital, o que obriga a incluir a informação. Mesmo assim, o órgão diverge do entendimento dos poderes Judiciário e Legislativo sobre o assunto, diz Gabriel Grabert, advogado tributário do escritório L.O. [...]

    Leia mais →
  • Legislação



    Ementário de legislação de 16/04/2014

    LEGISLAÇÃO FEDERAL ATO COTEPE/MVA Nº 1, DE 21 DE FEVEREIRO DE 2014 Retificado no DOU de 16/04/2014 o Ato COTEPE/MVA nº 1/2014 que altera as Tabelas I, II, III, IV, V, VI, VII, VIII, IX, X, XI, XII e XIII anexas ao ATO COTEPE/ICMS 42/2013, que divulga as margens de valor agregado a que se refere a cláusula oitava do Convênio ICMS 110/2007, que dispõe sobre o regime de substituição tributária nas operações com combustíveis e lubrificantes, derivados ou não [...]

    Leia mais →
  • Tributária



    Refis da Crise irá à sanção presidencial

    O Sistema Fenacon obteve uma importante vitória na noite de ontem: foi aprovada, no Senado Federal, a emenda do senador Paulo Bauer (PSDB-SC) que reabre o Refis da Crise (leis 11.941/09 e 12.249/10) para dívidas que venceram até 30 de junho de 2013. O parcelamento em andamento incorporou dívidas existentes até 2008. Essa emenda faz parte da Medida Provisória 627 que, além do Refis da Crise, aborda uma grande variedade de temas como multas para operadoras de planos de saúde; [...]

    Leia mais →
  • Legislação



    Destaques do Diário Oficial da União de 16/04/2014

    Destaques do Diário Oficial da União MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES ANTT estabelece a sistemática de identificação dos passageiros dos serviços de transportes MINISTÉRIO DA INTEGRAÇÃO NACIONAL Governo reconhece situação de emergência de 14 municípios sergipanos atingidos pela seca MMA Divulgada nova lista das espécies da flora e fauna em perigo de extinção MEC Mais cursos superiores de graduação foram autorizados pelo Ministério da Educação MFZ Portaria autoriza ajuste de juros em crédito do BNDES e pela Finep PR Anac divulga classificação [...]

    Leia mais →
  • Adm. Tributária



    Alterada a suspensão do IPI e a não incidência do PIS/Cofins na exportação

    Diário Oficial da União publica hoje a IN RFB 1.462, que altera os arts. 2º, 6º e 7º da Instrução Normativa RFB nº 1.152/2011, a qual dispõe sobre a suspensão do IPI e a não incidência da contribuição para o PIS/Cofins na exportação de mercadorias.

    Leia mais →
  • RSS
  • Facebook
  • Twitter