O DIREITO DE IR E VIR BARRADO PELOS PEDÁGIOS.
19 de julho de 2011 16:04

O DIREITO DE IR E VIR BARRADO PELOS PEDÁGIOS

Entre os diversos trabalhos apresentados, um deles causou polêmica entre os participantes. “A Inconstitucionalidade dos Pedágios”, desenvolvido pela aluna do 9º semestre de Direito da Universidade Católica de Pelotas (UCPel) Márcia dos Santos Silva chocou, impressionou e orientou os presentes.

A jovem de 22 anos apresentou o “Direito fundamental de ir e vir” nas estradas do Brasil. Ela, que mora em Pelotas, conta que, para vir a Rio Grande apresentar seu trabalho no congresso, não pagou pedágio e, na volta, faria o mesmo.Causando surpresa nos participantes, ela fundamentou seus atos durante a apresentação.

Márcia explica que na Constituição Federal de 1988, Título II, dos “Direitos e Garantias Fundamentais”, o artigo 5 diz o seguinte: “Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade” E no inciso XV do artigo: “é livre a locomoção no território nacional em tempo de paz, podendo qualquer pessoa, nos termos da lei, nele entrar,permanecer ou dele sair com seus bens”. A jovem acrescenta que “o direito de ir e vir é cláusula pétrea na Constituição Federal, o que significa dizer que não é possível violar esse direito. E ainda que todo o brasileiro tem livre acesso em todo o território nacional. O que também quer dizer que o pedágio vai contra a constituição”.

Segundo Márcia, as estradas não são vendáveis. E o que acontece é que concessionárias de pedágios realiza contratos com o governo Estadual de investir no melhoramento dessas rodovias e cobram o pedágio para ressarcir os gastos. No entanto, no valor da gasolina é incluído o imposto de Contribuição de Intervenção de Domínio Econômico (Cide), e parte dele é destinado às estradas. “No momento que abasteço meu carro, estou pagando o pedágio. Não é necessário eu pagar novamente. Só quero exercer meu direito, a estrada é um bem público e não é justo eu pagar por um bem que já é meu também”, enfatiza.

A estudante explicou maneiras e mostrou um vídeo que ensinava a passar nos pedágio sem precisar pagar. “Ou você pode passar atrás de algum carro que tenha parado. Ou ainda passa direto. A cancela, que barra os carros é de plástico, não quebra, e quando o carro passa por ali ela abre.

Não tem perigo algum e não arranha o carro”, conta ela, que diz fazer isso sempre que viaja. Após a apresentação, questionamentos não faltaram. Quem assistia ficava curioso em saber se o ato não estaria infringindo alguma lei, se poderia gerar multa, ou ainda se quem fizesse isso não estaria destruindo o patrimônio alheio. As respostas foram claras. Segundo Márcia, juridicamente não há lei que permita a utilização de pedágios em estradas brasileiras.

Quanto a ser um patrimônio alheio, o fato, explica ela, é que o pedágio e a cancela estão no meio do caminho onde os carros precisam passar e, até então, ela nunca viu cancelas ou pedágios ficarem danificados. Márcia também conta que uma vez foi parada pela Polícia Rodoviária, e um guarda disse que iria acompanhá-la para pagar o pedágio. “Eu perguntei ao policial se ele prestava algum serviço para a concessionária ou ao Estado.

Afinal, um policial rodoviário trabalha para o Estado ou para o governo Federal e deve cuidar da segurança nas estradas. Já a empresa de pedágios, é privada, ou seja, não tem nada a ver uma coisa com a outra”, Acrescenta. Ela defende ainda que os preços são iguais para pessoas de baixa renda, que possuem carros menores, e para quem tem um poder aquisitivo maior e automóveis melhores, alegando que muita gente não possui condições para gastar tanto com pedágios. Ela garante também que o Estado está negando um direito da sociedade. “Não há o que defender ou explicar. A constituição é clara quando diz que todos nós temos o direito de ir e vir em todas as estradas do território nacional”, conclui.

1 comentário

  • Na verdade esse e-mail circula há vários anos… mais com promessas que não são reais.
    Não sei se é verdade o trabalho da menina, mas é verdade o que diz a Constituição ressalvando a cobrança de pedágios:

    Art. 150. Sem prejuízo de outras garantias asseguradas ao contribuinte, é vedado à União, aos Estados, ao Distrito Federal e aos Municípios:
    V – estabelecer limitações ao tráfego de pessoas ou bens, por meio de tributos interestaduais ou intermunicipais, ressalvada a cobrança de pedágio pela utilização de vias conservadas pelo Poder Público;

    É sim, infração de trânsito, prevista no art. 209 do CTB, passar o pedágio sem pagar. Deveria o policial rodoviário federal ter aplicado a multa à moça, e não tentar fazer com que voltasse para pagar o pedágio. Ela veria como é bom pagar R$180,00 para deixar de ser espertinha e economizar R$5,00 ou R$10,00 do pedágio.

    Art. 209. Transpor, sem autorização, bloqueio viário com ou sem sinalização ou dispositivos auxiliares, deixar de adentrar às áreas destinadas à pesagem de veículos ou evadir-se para não efetuar o pagamento do pedágio:
    Infração – grave;
    Penalidade – multa

    Isso sim, repasse a todos os contatos que receberam o e-mail anterior, para que não corram o risco de levarem multas e outros problemas maiores.

    Doris Prux Medeiros

Comente diretamente no seu Facebook

Outras Notícias

  • Tributária



    CRCMS e SESCON/MS conseguem redução do ISSQN para escritórios de contabilidade de Campo Grande

    Por Comunicação CRCMS – Marli Nascimento Está em vigor desde o dia 23/06/14 aLei Complementar nº 239/14, da Prefeitura Municipal de Campo Grande, que reajustou a contribuição do ISSQN (Imposto Sobre Serviço de Qualquer Natureza) fixo dos Escritórios de Contabilidade de Campo Grande de R$ 250,00 para R$ 60,00 mensais, em atendimento à reivindicações do CRC/MS – Conselho Regional de Contabilidade de MS e do SESCON/MS – Sindicato da Empresas de Serviços Contábeis e das Empresas de Assessoramentos, Perícias Informações […]

    Leia mais →
  • Trab. Previdência



    Atividade rural não conta como tempo de contribuição para aposentadoria de servidor

    A 2.ª Turma do Tribunal Regional Federal da 1.ª Região (TRF1) negou pedido aposentadoria por um servidor público do Mato Grosso que tentava acumular o tempo de serviço em atividade rural para fins de aposentadoria. A decisão confirma entendimento adotado pelo juiz Direito da Comarca de Água Boa/MT, que apreciou o caso por meio da competência delegada – situação em que a Justiça Estadual analisa matérias de competência da Justiça Federal em localidades onde não há varas federais.   Na […]

    Leia mais →
  • Trab. Previdência



    Avícola indenizará auxiliar por doença adquirida por trabalhar de pé

    A Segunda Turma do Tribunal Superior do Trabalho elevou a indenização por danos morais que a Diplomata Agro Avícola Ltda. terá que pagar a uma auxiliar de produção que desenvolveu osteoartrose da coluna lombar no ambiente de trabalho. A Turma considerou o valor de R$ 5 mil “excessivamente modesto”, majorando-o para R$ 15 mil. No pedido de indenização por acidente, a empregada disse ter adquirido a doença ao fazer movimentos repetitivos e por trabalhar com alternância de temperaturas muito baixas […]

    Leia mais →
  • Tributária



    Operação ÓRION: Receita Federal combate pirâmide financeira no Espírito Santo

    A Receita Federal do Brasil (RFB), a Polícia Federal e o Ministério Público Federal deflagraram nesta quinta-feira (24) a “Operação ÓRION”, com o objetivo de combater fraudes envolvendo a prática de pirâmide financeira promovida por empresas sediadas no Espírito Santo. A ação ocorre nos municípios de Vitória, Vila Velha e Cariacica, onde estão sendo cumpridos 09 mandados de busca e apreensão nas sedes de 02 empresas, 04 escritórios de contabilidade e 03 residências de envolvidos. Participam da operação 27 servidores […]

    Leia mais →
  • Tributária



    Liberada a transmissão das DCTF referentes aos meses a partir de janeiro de 2014

    A Receita Federal informa que a partir de 21 de julho foi liberada a transmissão das DCTF referentes ao meses a partir de maio de 2014, bem como das DCTF referentes aos meses de janeiro a abril de 2014, a serem entregues pelas pessoas jurídicas e pelos consórcios que não tenham débitos a declarar, conforme determina o art. 3º da Instrução Normativa RFB nº 1.478, de 7 de julho de 2014. A versão 2.5 do Programa Gerador da DCTF deve […]

    Leia mais →
  • Corporativa



    Desenvolvimento Econômico aprova criação de sociedade limitada unipessoal

    Novo modelo societário, que poderá ter como titular pessoa física ou jurídica, se sujeitará às normas da sociedade limitada, exceto quanto à pluralidade de sócios. Proposta segue para análise da CCJ. A Comissão de Desenvolvimento Econômico, Indústria e Comércio da Câmara dos Deputados aprovou o Projeto de Lei 6698/13, do Senado Federal, que flexibiliza a legislação sobre empresa individual de responsabilidade limitada (Eireli) e institui um novo modelo societário – a sociedade limitada unipessoal (SLU). A proposta altera o Código […]

    Leia mais →
  • Legislação



    Ementário de legislação de 24/07/2014

    LEGISLAÇÃO FEDERAL PORTARIA Nº 1.129, DE 23 DE JULHO DE 2014 Aprova instruções para a prestação de informações pelo empregador, relativas a movimentações de empregados, para fins do: Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED), instituído pela Lei nº 4.923/65; e Seguro-Desemprego, nos termos do art. 7º, inciso I, e art.24 da Lei nº 7.998/90. PORTARIA Nº 1.134, DE 23 DE JULHO DE 2014 Altera a Norma Regulamentadora (NR) n.º 6, que dispõe sobre Equipamentos de Proteção Individual (EPI). PORTARIA […]

    Leia mais →
  • Legislação



    Destaques do Diário Oficial da União de 24/07/2014

    Destaques do Diário Oficial da União MINISTÉRIO DA SAÚDE Anvisa suspende venda e uso de medicamento para tratamento de insônia e desordens da ansiedade MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO Aprovadas novas instruções para prestação de informações ao Caged MEC Vinte novos cursos superiores a distância foram reconhecidos pelo Ministério da Educação   MJ Secretaria de Reforma do Judiciário institui Projeto Observatório do Acesso à Justiça   MFZ Confaz divulga nova tabela com preços de combustíveis de seis estados e o […]

    Leia mais →
  • Tributária



    Organizações religiosas devem entregar dados contábeis a Receita Federal

    Valdir Amorim Desde de 1° de janeiro deste ano, associações dedicadas a atividades de organização religiosa são obrigadas a adotar a ECD (Escrituração Contábil Digital). E como tal, têm até o último dia útil de junho do ano seguinte para entregar o Sped Contábil ou o ECD. As regras de obrigatoriedade não levam em consideração se a pessoa jurídica teve ou não movimento no período. Não ter movimento não quer dizer não ter fato contábil e a entrega deve ocorrer assim […]

    Leia mais →
  • Adm. Tributária



    Alterado o prazo de início de vigência das novas regras do Caged

    A Portaria MTE nº 1.129/2014 alterou para 22.09.2014 o prazo para início de vigência das novas regras relativas ao Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), dentre as quais a obrigação de informar as admissões na data de início das atividades do empregado, quando este estiver em percepção do seguro-desemprego. Lembra-se que, de acordo com a Portaria MTE nº 768/2014, referido prazo teria início em 27.07.2014. (Portaria MTE nº 1.129/2014 – DOU de 24.07.2014) via:: NETIOB ::.

    Leia mais →